sexta-feira, 15 de abril de 2011

Sessão plenária ordinária 14.04.2011



Analisando os primeiros cem dias do governo Tarso Genro questionei a legitimidade da pesquisa de opinião divulgada na imprensa gaúcha no início desta semana, revelando 80% de apoio popular para o modo de governar do petista: “... será verdade este índice? E se verdadeiro, será que o eleitorado sabe da real situação do governo Tarso até o momento?”, questionei. Critiquei de forma veemente, alertando que repercutirá no bolso da população “a criação ou reajuste de mais de 100 cargos de confiança, alguns com salário de R$ 24 mil”. Uma incoerência, já que o próprio governador Tarso teria defendido na imprensa a criação de um piso salarial de R$ 17 mil para o Estado. O PT está calado diante destes fatos por ser o partido do governador, mas certamente não deixaria de criticar tivessem eles partido ou da ex-governadora Yeda Crusius ou mesmo do prefeito Cezar Schirmer. “A legítima prática do ‘façam o que eu digo, não façam o que eu faço’”, ironizei. Ainda disse que a negativa de criação da Comissão Parlamentar de Inquérito sobre o Daer “modificou o paradigma de opinião do PT sobre CPIs”. E também cobrei coerência da bancada petista na Assembleia que, hoje, como situação, “não cumpre o que cobrava como oposição nos governos anteriores”. Sobre os novos cargos para servirem as cinco novas secretarias criadas no atual governo, lembrei que estes representarão um custo de mais de R$ 50 milhões ao tesouro estadual, “mesmo depois de ter criticado o caixa vazio”. Depois que enumerei uma série de atitudes do atual governador gaúcho que considero ilegais, entre eles as demissões no Irga, revertidas na justiça, disse que “os atos autoritários do governador Tarso têm que ter limite: a lei. O poder judiciário com estas decisões tranquiliza a sociedade gaúcha, pois vivemos em um estado democrático e constitucional de direito”. Por fim, ao condenar o que classifiquei como “apologia ao uso de drogas” por parte do governador, conclui dizendo que “incoerência é a palavra que resume os 100 dias do governo Tarso, a atitude do PT e esta pesquisa de opinião”.