sexta-feira, 11 de maio de 2012

Sessão de Homenagem aos 100 anos do Riograndense Futebol Clube

Na noite de Quinta-feira (10), o poder legislativo municipal prestou homenagem ao centenário do Riograndense Futebol Clube, em Sessão Solene proposta por mim.

A mesa de honra esteve composta pelo presidente da Câmara, vereador Manoel Badke, pelo presidente do Riograndense, Julio Cesar Ausani, pelo deputado estadual Jorge Pozzobom, pelo secretário de município de Esporte, Luiz Fernando Nunes, dirigentes e ex-atletas da equipe esmeraldina.

No meu discurso relembrei fatos da origem do futebol e dos primórdios do Riograndense Futebol Clube. “A história do Rio Grandense Futebol Clube, carinhosamente conhecido como Periquito, se confunde com a história ferroviária de Santa Maria. Foi de uma reunião de ferroviários, muitos moradores do Bairro Perpétuo Socorro e da Vila Belga, que, em 1912, o clube foi fundado. Aos 7 de maio de 1912, no coração do Rio Grande, um grupo de ferroviários apaixonados por futebol fundou o Rio Grandense Futebol Clube que teve como seu primeiro presidente Álvaro Silva. A agremiação definiu, em 1914 seu primeiro estatuto, o qual estipulou as cores atuais, o verde e o vermelho, transformando-o no rubro-esmeraldino. Conforme nos relata o historiador João Rodolfo Amaral Flores, o Periquito constitui-se em um dos clubes mais antigos voltados à prática do futebol no Rio Grande do Sul, que, por muitos anos, se rivalizou com outras equipes ferroviárias do estado, e por muitas vezes, enfrentou em condições de igualdade as grandes equipes, como Grêmio Futebol Porto-Alegrense e Sport Clube Internacional”.