segunda-feira, 31 de maio de 2010


O Verereador Admar Pozzobom participou do aniversário de seu irmão, Jorge Pozzobom, que completou 40 anos de idade e 10 anos de vida pública.
No evento que se realizou na manhã deste domingo (30), no CTG Sentinela da Querência, contou com a presença de cerca de 1000 pessoas, entre elas o Deputado Federal Cláudio Diaz (PSDB), o Chefe da Casa Civil Bercílio Silva e o ex-vice-governador Vicente Bogo.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Caravana 45


É com muita alegria e entusiasmo que convidamos o amigo para a mobilização do Encontro Regional da Caravana 45 que ocorrerá no dia 30 de maio às 10h na Câmara de Vereadores, Rua:Vale Machado 1415 Centro - Santa Maria. O evento contará com a participação do Chefe da Casa Civil e Secretários de Estado. É chegado o momento de arregaçar as mangas para agregar, envolver, organizar e motivar o nosso PSDB.

DATA/HORA
ATIVIDADE
30/05/2010
Domingo
7h
Deslocamento para Santa Maria
10h
Santa Maria - Encontro Regional CARAVANA 45
Câmara de Vereadores Rua: Vale Machado,1415 Centro
10h
Painel de Prestação de Contas
10h30
Secretário Bercilio Silva conduz a mesa

Secretário Bercilio Silva Conduz a Mesa
10h40
ITV
10h50min
Juventude
11h
PSDB Mulher
11h10
Movimento Afro
11h20min
Associação de Prefeitos
11h30min
Associação de VEREADORES
11h40min
Lideranças, candidatos e Pré candidatos
12:30
Encerramento com almoço ANIVERSÁRIO JORGE POZZOBOM CTG SENTINELA DA QUERÊNCIA. (55)9626-7400 OU (55)9603-1482

Admar Pozzobom (PSDB) parabenizou a vereadora Sandra Rebelato, presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Casa pela “brilhante audiência pública”, que tratou da criação do Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal e citou a participação dos vários vereadores presentes à discussão. Admar Pozzobom falou, também, a respeito da necessidade de interceder junto ao Executivo para que os requerimentos sejam atendidos pelos secretários. ”Nós, vereadores, somos os párachoques, e a população bate na nossa porta”, ponderou. O vereador tucano alegou que vem realizando reuniões em vários bairros da cidade, ouvindo a população e suas demandas e dificuldades. “Ontem, tivemos reunião na Cohab Fernando Ferrari”, informou. O parlamentar comentou, ainda, que pela sexta vez Santa Maria recebeu o evento da Associação Gaúcha de Supermercados (AGAS) e destacou que a cidade é berço de tradicionais empresas do ramo. Elogiou ainda a palestra de Carlos Pozzobom na abertura da convenção, que serviu para qualificar o empresariado e estreitar os laços do segmento. Por fim, informou que Santa Maria irá receber a Caravana 45, que visa reunir a população e lideranças locais tucanas para promover a sigla. Na ocasião, serão esclarecidas as ações do governo do Estado com a presença da governadora Yeda Crusius. Pozzobom ainda elogiou o modelo de gestão da governadora, apontando que o Estado vem apresentando fôlego nos investimentos, com destaque para os primeiros quatro meses do ano.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

CCJ CONVOCA NOVA AUDIÊNCIA PARA


Uma nova rodada de discussões, marcada para no dia 16 de junho próximo, foi o resultado da audiência pública realizada na tarde desta quarta-feira (26) no plenário da Câmara de Vereadores, convocada pela Comissão de Constituição e Justiça da Casa para discutir os projetos do Executivo que tratam da criação do Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal. A audiência desta tarde foi solicitada pelo vereador Admar Pozzobom (PSDB), relator da matéria na CCJ, para que, segundo ele, os segmentos interessados no assunto apresentassem as suas sugestões.

E foi em razão de sugestões e críticas apresentadas, algumas com divergência de concepção em relação à proposta original, que a Comissão, conforme anunciado pela presidente dos trabalhos, Sandra Rebelato (PP), decidiu pela realização desta nova audiência. No dia 16 de junho deverá ser apresentada nova redação do projeto, com a incorporação das propostas apresentadas, salvaguardadas as questões de constitucionalidade e legalidade.

A audiência dessa quarta-feira foi marcada pela participação de diversos segmentos que possuem íntima relação com a matéria. Muitas manifestações atentaram para a necessidade de cumprimento das leis já existentes e para a tentativa de aperfeiçoamento do projeto apresentado, uma vez que este não responde a questões fundamentais. Entre os pontos que geram polêmica são citados a forma como animais serão esterelizados, o destino dos mesmos em caso de superlotação do centro e a origem da verba para a construção e manutenção do espaço.

O secretário de Proteção Ambiental, Luiz Alberto Carvalho Junior citou a importância de haver uma lei municipal para dar respaldo legal às ações promovidas pelo poder público no setor. Também comentou da gravidade que o abandono de animais gera para o município: “É um problema sério para a secretaria e para o poder público como um todo. Essa questão é um problema histórico de Santa Maria e o encaminhamento desse projeto é fundamental para resolvê-la”.

Estiveram presentes na audiência, o secretário de Proteção Ambiental, Luiz Alberto Carvalho Junior, o médico veterinário da Secretaria de Saúde Rafael Potter, além dos já citados, os vereadores Maria de Lourdes Castro (PMDB), Marion Mortari (PP), Isaias Romero (PMDB), Tubias Calil (PMDB) e Manoel Badke (DEM), entidades protetoras de animais, estudantes e representantes comunitários.

Texto: Beto São Pedro

Assessoria de Imprensa
Câmara de Vereadores de Santa Maria - RS
Jornalista responsável: Renata Bianchini (MTb 11.916)
Rua Vale Machado, 1.415
(55) 3220-7252
www.camara-sm.rs.gov.br
imprensa@camara-sm.rs.gov.br

quarta-feira, 26 de maio de 2010


Executando o projeto "Vereador na Comunidade", na noite de terça-feira (25) o Vereador Admar Pozzobom, juntamente com seu irmão Jorge Pozzobom, tiveram uma reunião na comunidade da COHAB Fernando Ferrari com a finalidade de receber receber as reinvincações dos moradores.

Venha Conosco


Sessão plenária 25.05.10


Manoel Badke (DEM) usou parte do seu tempo no Grande Expediente para reforçar a convocação à audiência pública que se realizará na tarde desta quarta-feira (26), no plenário da Câmara, para debater os projetos do Executivo que propõem a criação de um Centro de Bem Estar Animal em Santa Maria, e a instituição do controle, por meio de chips, das criações domésticas no perímetro urbano do município. A audiência está sendo promovida pela Comissão de Constituição, Justiça, Ética e Decoro Parlamentar da Casa, atendendo proposta do vereador Admar Pozzobom. Também registrou o lançamento do livro de autoria do radialista Derly Vargas sobre a história do futebol amador santa-mariense. Por fim, fez um convite à petista Helen Cabral para que compareça ao distrito de Arroio Grande, a fim de constatar a qualidade do trabalho desenvolvido naquela localidade pela equipe da subprefeitura. Contrário à eleição direta de subprefeitos, Manoel Badke assegura que o trabalho lá realizado é de grande qualidade e intensidade.





Texto: Clarissa Lovatto e Beto São Pedro
Assessoria de Imprensa
Câmara de Vereadores de Santa Maria - RS
Jornalista responsável: Renata Bianchini (MTb 11.916)
Rua Vale Machado, 1.415
(55) 3220-7252
www.camara-sm.rs.gov.br
imprensa@camara-sm.rs.gov.br

terça-feira, 25 de maio de 2010

Vereador Admar Pozzobom Visita a 8º CRE


Sexta-feira (21), o Vereador Admar Pozzobom esteve em reunião na 8º CRE, juntamente com a diretora Maristela Barbosa da Escola Estadual Marechal Rondon, e a coordenadora Vera Laura, oportunidade em que discutiram assuntos referentes à escola.

Criação do Centro de Vigilância Ambiental é tema de audiência pública

Na quarta-feira, dia 26, a Câmara de Vereadores realiza audiência pública para discutir o projeto referente à criação do Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal. O vereador Admar Pozzobom, relator do projeto na Comissão de Constituição e Justiça, solicitou à presidência do Legislativo a organização da audiência para colher subsídios antes de emitir o parecer. A atividade acontece, às 14h, no plenário da Câmara.

O projeto do Executivo tem a finalidade de controle populacional de cães e gatos e proteção de animais domésticos que sofrem maus tratos através da identificação, registro, esterilização cirúrgica, adoção e campanhas educacionais de conscientização. Além disso, objetiva centralizar e registrar informações referentes a zoonoses.

Texto: Clarissa Lovatto

PROJETO DE LEI Nº7344/EXECUTIVO


Autoriza o Poder Executivo Municipal a criar o Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal.


Art. 1º Fica autorizada a criação na estrutura organizacional do Poder Executivo Municipal, do Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal, com a finalidade de controle populacional de cães e gatos e proteção de animais domésticos que sofrem maus tratos, por meio de identificação, registro, esterilização cirúrgica, adoção e campanhas educacionais de conscientização pública de relevância de tais medidas, bem como, centralizar e registrar informações referentes às zoonoses.

Parágrafo Único. São competências do Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal:

I. centralizar e registrar informações referentes aos animais domésticos urbanos do Município de Santa Maria, entendendo-se por animais domésticos urbanos os das espécies canina, felina, eqüina, muar, asinina, de tração ou não;

II. promover programas de vacinação, esterilização cirúrgica de animais domésticos e identificação eletrônica (microchips) dos mesmos;

III. levar em conta o tratamento prioritário aos animais pertencentes às pessoas comprovadamente sem condições de arcar com as despesas do procedimento cirúrgico;
IV. vedar o extermínio de animais domésticos pelos órgãos que controlam as zoonoses, canis públicos ou privados e estabelecimentos oficiais congêneres, exceção feita à eutanasia, permitida nos casos de enfermidades em situação de irreversibilidade;
V. controlar as populações e criações irregulares de animais de todos os portes, nas áreas urbanas do Município, para prevenir, reduzir e eliminar as causas de sofrimentos de animais e preservar a saúde e o bem estar da população humana, controlando possíveis vetores de zoonozes;

VI. realizar campanhas de conscientização dos proprietários e criadores de animais domésticos quanto ao trato adequado a ser dispensado aos animais;

VII. vistoriar e fornecer laudo técnico quanto à sanidade de animais destinados à exibição pública ou espetáculos e dos bons tratos a eles dispensados no cativeiro;

VIII. colher, registrar, manter e fornecer dados epidemiológicos de instituições interessadas;
IX. centralizar informações sobre diagnósticos epidemiológicos e dados estatísticos referentes à ocorrência de zoonoses, através de informações colhidas dos boletins mensais dos órgãos de saúde e agricultura federais, estaduais e municipais;
X. auxiliar na fiscalização e manter registros acerca das ocorrências em abatedouros do Município;
XI. registrar dados e implantar programas de controle de roedores;
XII. promover e executar ações de educação em cuidados sanitários às comunidades, em conformidade com as normas da Fundação Nacional da Saúde, Organização Panamericana de Saúde e Organização Mundial de Saúde, adotados no Município pelo Conselho Municipal de Saúde e Meio Ambiente;

XIII. controlar as populações de insetos, roedores e outros animais que possam ser vetores diretos ou indiretos de zoonoses;

XIV. Providenciar o recolhimento, transporte e destinação dos animais de grande, médio e pequeno porte;

XV. armazenar dados sobre a população, localização, sanidade e propriedade de animais domésticos existentes no Município, criados para fins comerciais ou não;
XVI. coletar e manter os dados epidemiológicos e endêmicos das zoonoses no Município comunicados ao Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal pelos serviços de saúde municipais, estaduais e federais.


Art. 2º O recolhimento de animais observará procedimentos protetores de manejo, de transporte e de averiguação da existência de proprietário, de responsável ou de cuidador em sua comunidade.

§ 1º O animal reconhecido como comunitário será esterilizado através de cirurgia, identificado, registrado no Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal e devolvido a pessoa que levou o animal ao centro.

§ 2º Para efeitos desta Lei considera-se “animal comunitário” aquele que estabelece com a comunidade em que vive laços de dependências e de manutenção, ainda que não possua responsável único e definido.


Art. 3º O recolhimento, a esterilização e o tratamento deverão ser feitos pelo Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal que poderá atuar em parceria com as entidades de proteção aos animais e clinicas veterinárias legalmente estabelecidas.

Art.4º Fica vedado o extermínio de cães e gatos, exceção feita à eutanásia, permitida nos casos de enfermidades em situações irreversíveis e fica também vedado outra forma de esterilização que não for através de procedimento cirúrgico.

§ 1º a eutanásia será justificada por laudo do responsável técnico pelos órgãos e estabelecimentos competentes, de exame laboratorial, facultado o acesso aos documentos por entidades de proteção dos animais.

§ 2º ressalvada a hipótese de doença infecto-contagiosas incuráveis, que ofereçam risco à saúde pública, o animal que se encontre na situação prevista no “caput” poderá ser disponibilizado para resgate por entidade de proteção dos animais, mediante assinatura de termo de integral responsabilidade.


Art.5º Serão orientados, os cidadãos, a denunciarem os abandonos e as crueldades contra os animais, no órgão municipal de meio ambiente e que sejam enquadrados na Lei de Crimes Ambientais.

§ 1º em posse de um Boletim de Ocorrência, deverá ser efetuada uma averiguação prévia e uma vez comprovada a procedência, imediatamente deslocar uma equipe de resgate para o local, acompanhada de um médico veterinário e policiais civis ou militares.
§ 2º os animais resgatados serão encaminhados ao órgão municipal do Meio Ambiente onde serão tratados e cadastrados no programa de adoções.


Art.6º O animal de rua com histórico de mordedura, injustificada e comprovada por laudo clinico e comportamental, expedido por médico veterinário, o qual deverá ser de acesso público tão logo o animal seja avaliado, será obrigatoriamente castrado, registrado e inserido em programa especial de adoção, com critérios diferenciados.
Parágrafo único. O expediente deverá prever a assinatura de termo de compromisso pelo qual o adotante se obrigará a cumprir o estabelecido em legislação específica para cães de raça bravia, a manter o animal em local seguro e em condições favoráveis ao seu processo de ressocialização.


Art.7º É obrigatória a comunicação ao Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal em 48 (quarenta e oito) horas úteis, pelos serviços de saúde e vigilância sanitária, incluindo plataformas de recebimento de leite in natura de diagnóstico de zoonose em animais ou seres humanos.


Art.8º Fica criado o Cadastro Municipal de Animais Domésticos (CMAD), que funcionará junto ao Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal, para registro obrigatório de animais criados em cativeiro no âmbito de abrangência geográfica dessa Lei.
a) aos animais que dêem origem a produtos lácteos ou cárneos será fornecida Carteira de Sanidade, que deverá ser atualizada a cada 06 (seis) meses, mediante prova de tal condição com atestados de serviços veterinários municipais, estaduais ou federais ou, ainda, de estabelecimentos privados reconhecidos pelo Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal;

b) dos animais considerados de estimação criados em cativeiro doméstico, será exigido, quando couber, atestado de vacinação periódica, feita junto ao Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal ou a outro estabelecimento credenciado.


Art. 9º É livre o acesso aos criatórios e propriedades, no âmbito do Município, a técnicos, sanitaristas e recenseadores devidamente identificados e credenciados para esse fim pelo Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal.


Art. 10 Para a implantação do eficaz controle das zoonoses no Município, poderá o Poder Executivo celebrar convênios e termos de cooperação técnica entre o Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal e instituições federais, estaduais e municipais e particulares.


Art. 11 O Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal emitirá e fará publicar, anualmente, relatório detalhado de suas atividades, fornecendo dados epidemiológicos do Município, sugerindo programas de combate às zoonoses e outras medidas que julgar cabíveis.

Art. 12 O Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal será mantido por conta de recursos orçamentários próprios e verbas originárias de convênios e programas federais e estaduais.


Art. 13 O Executivo Municipal regulamentará, por Decreto, as disposições desta Lei.


Art. 14 Essa Lei entra em vigor na data de sua publicação.



J U S T I F I C A T I V A ao Projeto de Lei nº _____/Executivo que:



Autoriza o Poder Executivo Municipal a criar o Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal.



Senhor Presidente,

Senhores Vereadores:


Atendendo a solicitação do ilustre Vereador Manoel Badke, formalizada no Projeto Sugestão encaminhado pelo ofício nº 0855/09/GP/DL/EP, submetendo a presente matéria à apreciação de Vossa Excelência.


A presente proposição mostra-se imperiosa diante das circunstancias e formas como estão sendo tratados os animais abandonados nas ruas de nossa cidade. Assistimos ao aumento de maus-tratos, abandono e toda sorte de crueldade contra os animais, apesar da abundância de leis que garantem, pelo menos teoricamente, sua proteção. A legislação de proteção aos animais existe desde 1934, quando o então Presidente Getúlio Vargas promulgou o Decreto Lei 24.645/34. Atualmente, a evolução da legislação protetiva dos animais domésticos tem contemplado a esterilização e a posse responsável. O país dispõe da Constituição Federal, em seu artigo 225, § 1º, VII, tratando do meio ambiente; o Código Civil, em seus artigos 47 (por interpretação), 588, § 2º, 594 a 598, 1.416 a 1.423 e 1.527; a Lei 7.653, de12 de fevereiro de 1988 – Lei de Proteção à Fauna; a Lei 9.605, de 12 de fevereiro de 1998 – Lei de Crimes Ambientais, e a Lei Estadual13.193. de 30 de junho de 2009 – Controle de reprodução de cães e gatos de rua no Estado do Rio Grande do Sul.


Devemos ter em mente que ao longo de seis anos uma cadela pode, em progressão geométrica, originar quase 67 mil descendentes. Este fenômeno da procriação desordenada é conseqüência da ignorância, falta de responsabilidade da população em relação a essa questão, da omissão das autoridades e da má distribuição dos recursos públicos necessários ao tratamento específico dos animais como a educação ambiental, incentivo da guarda responsável, punição de maus-tratos contra animais e campanhas em massa de esterilização de cães e gatos. Enquanto a população não for orientada, continuará permitindo a procriação descontrolada de animais que, por sua vez, permanecerão vivendo nas rua sem alimentação, higiene e cuidados preventivos, podendo vir a ser portadores de doenças, tais como: raiva, sarna, leishmaniose e a leptospirose, transmissíveis ao humanos.


Como o bem-estar animal é baseado no princípio do cuidado e uso dos animais pelo homem, a posição do bem-estar é fundada na premissa básica que os animais podem e devem ser utilizados para o benefício humano, e a responsabilidade deste uso trás certas obrigações com os animais. Estas incluem adequado manejo, oferecimento de alimentação essencial, água e abrigo, cuidados sanitários, saúde psicológica e alívio da dor e do sofrimento.


Muitos podem pensar, porque não nos preocupamos com os moradores de rua ou com quem vive a baixo da linha da pobreza? Na realidade é justamente por nos preocuparmos que desejamos solucionar o grave problema do bem estar animal que também é de saúde pública, uma vez que, estes animais soltos nas ruas sem o tratamento adequado para evitar as doenças, acabam contaminando a população.


A responsabilidade do poder público nas questões ambientais relacionadas com os animais domésticos (cães, gatos e cavalos) é um agente multiplicador importante na forma de tratar os animais domésticos no meio urbano.


A finalidade deste projeto é sugerir ao poder público que destine local para a manutenção e exposição de animais disponibilizados para adoção, promova campanhas que conscientizem o público da necessidade de esterilização e de vacinação periódica e do aspecto criminal de maus tratos e abandono, e forneça orientação técnica aos adotantes e ao público em geral para os princípios da tutela responsável de animais. Também propõe o estabelecimento de convênios e parcerias com municípios, entidades de proteção animal, organizações não-governamentais, universidades, estabelecimentos veterinários, empresas públicas e privadas e entidades de classe.


O projeto de lei define as diretrizes a serem seguidas por programas de controle reprodutivo de cães e gatos de rua e medidas que visem à proteção desses animais, por meio de identificação, registro, esterilização, adoção e campanhas educacionais de conscientização pública.


Com base no exposto, o presente projeto vem ao encontro do Código Estadual de Proteção aos Animais, o qual, por sua vez, proíbe sacrificar animais por métodos não aceitos pela Organização Mundial de Saúde, devendo haver controle reprodutivo de cães e gatos e a promoção de medidas protetivas por meio de identificação, registro, esterilização cirúrgica, adoção de campanhas educacionais para a conscientização pública de relevância de tais atividades.


Convém lembrar que a proteção aos animais e a salubridade pública, longe se serem valores antagônicos ou inconciliáveis, são interesses que vinculam a que se voltam a um mesmo fim, já as medidas que protegem os animais são as mesmas preconizadas pela OMS, por atuarem na defesa da incolumidade pública. Dessa forma, é de natureza pública o interesse em implantar tais procedimentos.


Ante o exposto conto com a sensibilidade dos pares para aprovar esta proposição, a qual objetiva controlar a população de cães e gatos.




Santa Maria, 18 de março de 2010.



Cezar Augusto Schirmer

Prefeito Municipal




Assessoria de Imprensa
Câmara de Vereadores de Santa Maria - RS
Jornalista responsável: Renata Bianchini (MTb 11.916)
Rua Vale Machado, 1.415
(55) 3220-7252
www.camara-sm.rs.gov.br
imprensa@camara-sm.rs.gov.br

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Audiência pública para discutir criação do Centro Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal

Na próxima quarta-feira, dia 26, a Câmara de Vereadores realiza audiência pública para discutir o projeto referente à criação do Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal. O vereador Admar Pozzobom, relator do projeto na Comissão de Constituição e Justiça, solicitou à presidência do Legislativo a organização da audiência para colher subsídios antes de emitir o parecer.
A atividade acontece, às 14, no plenário da Câmara. O projeto do Executivo tem a finalidade de controle populacional de cães e gatos e proteção de animais domésticos que sofrem maus tratos através da identificação, registro, esterilização cirúrgica, adoção e campanhas educacionais de conscientização. Além disso, objetiva centralizar e registrar informações referentes a zoonoses.



Texto: Clarissa Lovatto
Assessoria de Imprensa
MTb 11014



PROJETO DE LEI Nº 7344/EXECUTIVO




Autoriza o Poder Executivo Municipal a criar o Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal.





Art. 1º Fica autorizada a criação na estrutura organizacional do Poder Executivo Municipal, do Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal, com a finalidade de controle populacional de cães e gatos e proteção de animais domésticos que sofrem maus tratos, por meio de identificação, registro, esterilização cirúrgica, adoção e campanhas educacionais de conscientização pública de relevância de tais medidas, bem como, centralizar e registrar informações referentes às zoonoses.

Parágrafo Único. São competências do Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal:

I. centralizar e registrar informações referentes aos animais domésticos urbanos do Município de Santa Maria, entendendo-se por animais domésticos urbanos os das espécies canina, felina, eqüina, muar, asinina, de tração ou não;

II. promover programas de vacinação, esterilização cirúrgica de animais domésticos e identificação eletrônica (microchips) dos mesmos;

III. levar em conta o tratamento prioritário aos animais pertencentes às pessoas comprovadamente sem condições de arcar com as despesas do procedimento cirúrgico;

IV. vedar o extermínio de animais domésticos pelos órgãos que controlam as zoonoses, canis públicos ou privados e estabelecimentos oficiais congêneres, exceção feita à eutanasia, permitida nos casos de enfermidades em situação de irreversibilidade;

V. controlar as populações e criações irregulares de animais de todos os portes, nas áreas urbanas do Município, para prevenir, reduzir e eliminar as causas de sofrimentos de animais e preservar a saúde e o bem estar da população humana, controlando possíveis vetores de zoonozes;

VI. realizar campanhas de conscientização dos proprietários e criadores de animais domésticos quanto ao trato adequado a ser dispensado aos animais;

VII. vistoriar e fornecer laudo técnico quanto à sanidade de animais destinados à exibição pública ou espetáculos e dos bons tratos a eles dispensados no cativeiro;

VIII. colher, registrar, manter e fornecer dados epidemiológicos de instituições interessadas;

IX. centralizar informações sobre diagnósticos epidemiológicos e dados estatísticos referentes à ocorrência de zoonoses, através de informações colhidas dos boletins mensais dos órgãos de saúde e agricultura federais, estaduais e municipais;

X. auxiliar na fiscalização e manter registros acerca das ocorrências em abatedouros do Município;

XI. registrar dados e implantar programas de controle de roedores;

XII. promover e executar ações de educação em cuidados sanitários às comunidades, em conformidade com as normas da Fundação Nacional da Saúde, Organização Panamericana de Saúde e Organização Mundial de Saúde, adotados no Município pelo Conselho Municipal de Saúde e Meio Ambiente;

XIII. controlar as populações de insetos, roedores e outros animais que possam ser vetores diretos ou indiretos de zoonoses;

XIV. Providenciar o recolhimento, transporte e destinação dos animais de grande, médio e pequeno porte;

XV. armazenar dados sobre a população, localização, sanidade e propriedade de animais domésticos existentes no Município, criados para fins comerciais ou não;

XVI. coletar e manter os dados epidemiológicos e endêmicos das zoonoses no Município comunicados ao Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal pelos serviços de saúde municipais, estaduais e federais.



Art. 2º O recolhimento de animais observará procedimentos protetores de manejo, de transporte e de averiguação da existência de proprietário, de responsável ou de cuidador em sua comunidade.

§ 1º O animal reconhecido como comunitário será esterilizado através de cirurgia, identificado, registrado no Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal e devolvido a pessoa que levou o animal ao centro.

§ 2º Para efeitos desta Lei considera-se “animal comunitário” aquele que estabelece com a comunidade em que vive laços de dependências e de manutenção, ainda que não possua responsável único e definido.



Art. 3º O recolhimento, a esterilização e o tratamento deverão ser feitos pelo Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal que poderá atuar em parceria com as entidades de proteção aos animais e clinicas veterinárias legalmente estabelecidas.



Art.4º Fica vedado o extermínio de cães e gatos, exceção feita à eutanásia, permitida nos casos de enfermidades em situações irreversíveis e fica também vedado outra forma de esterilização que não for através de procedimento cirúrgico.

§ 1º a eutanásia será justificada por laudo do responsável técnico pelos órgãos e estabelecimentos competentes, de exame laboratorial, facultado o acesso aos documentos por entidades de proteção dos animais.

§ 2º ressalvada a hipótese de doença infecto-contagiosas incuráveis, que ofereçam risco à saúde pública, o animal que se encontre na situação prevista no “caput” poderá ser disponibilizado para resgate por entidade de proteção dos animais, mediante assinatura de termo de integral responsabilidade.



Art.5º Serão orientados, os cidadãos, a denunciarem os abandonos e as crueldades contra os animais, no órgão municipal de meio ambiente e que sejam enquadrados na Lei de Crimes Ambientais.

§ 1º em posse de um Boletim de Ocorrência, deverá ser efetuada uma averiguação prévia e uma vez comprovada a procedência, imediatamente deslocar uma equipe de resgate para o local, acompanhada de um médico veterinário e policiais civis ou militares.

§ 2º os animais resgatados serão encaminhados ao órgão municipal do Meio Ambiente onde serão tratados e cadastrados no programa de adoções.



Art.6º O animal de rua com histórico de mordedura, injustificada e comprovada por laudo clinico e comportamental, expedido por médico veterinário, o qual deverá ser de acesso público tão logo o animal seja avaliado, será obrigatoriamente castrado, registrado e inserido em programa especial de adoção, com critérios diferenciados.

Parágrafo único. O expediente deverá prever a assinatura de termo de compromisso pelo qual o adotante se obrigará a cumprir o estabelecido em legislação específica para cães de raça bravia, a manter o animal em local seguro e em condições favoráveis ao seu processo de ressocialização.



Art.7º É obrigatória a comunicação ao Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal em 48 (quarenta e oito) horas úteis, pelos serviços de saúde e vigilância sanitária, incluindo plataformas de recebimento de leite in natura de diagnóstico de zoonose em animais ou seres humanos.



Art.8º Fica criado o Cadastro Municipal de Animais Domésticos (CMAD), que funcionará junto ao Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal, para registro obrigatório de animais criados em cativeiro no âmbito de abrangência geográfica dessa Lei.

a) aos animais que dêem origem a produtos lácteos ou cárneos será fornecida Carteira de Sanidade, que deverá ser atualizada a cada 06 (seis) meses, mediante prova de tal condição com atestados de serviços veterinários municipais, estaduais ou federais ou, ainda, de estabelecimentos privados reconhecidos pelo Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal;

b) dos animais considerados de estimação criados em cativeiro doméstico, será exigido, quando couber, atestado de vacinação periódica, feita junto ao Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal ou a outro estabelecimento credenciado.


Art. 9º É livre o acesso aos criatórios e propriedades, no âmbito do Município, a técnicos, sanitaristas e recenseadores devidamente identificados e credenciados para esse fim pelo Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal.


Art. 10 Para a implantação do eficaz controle das zoonoses no Município, poderá o Poder Executivo celebrar convênios e termos de cooperação técnica entre o Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal e instituições federais, estaduais e municipais e particulares.

Art. 11 O Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal emitirá e fará publicar, anualmente, relatório detalhado de suas atividades, fornecendo dados epidemiológicos do Município, sugerindo programas de combate às zoonoses e outras medidas que julgar cabíveis.

Art. 12 O Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal será mantido por conta de recursos orçamentários próprios e verbas originárias de convênios e programas federais e estaduais.

Art. 13 O Executivo Municipal regulamentará, por Decreto, as disposições desta Lei.


Art. 14 Essa Lei entra em vigor na data de sua publicação.


J U S T I F I C A T I V A ao Projeto de Lei nº _____/Executivo que:


Autoriza o Poder Executivo Municipal a criar o Centro de Vigilância Ambiental e Bem Estar Animal.

Senhor Presidente,

Senhores Vereadores:


Atendendo a solicitação do ilustre Vereador Manoel Badke, formalizada no Projeto Sugestão encaminhado pelo ofício nº 0855/09/GP/DL/EP, submetendo a presente matéria à apreciação de Vossa Excelência.


A presente proposição mostra-se imperiosa diante das circunstancias e formas como estão sendo tratados os animais abandonados nas ruas de nossa cidade. Assistimos ao aumento de maus-tratos, abandono e toda sorte de crueldade contra os animais, apesar da abundância de leis que garantem, pelo menos teoricamente, sua proteção. A legislação de proteção aos animais existe desde 1934, quando o então Presidente Getúlio Vargas promulgou o Decreto Lei 24.645/34. Atualmente, a evolução da legislação protetiva dos animais domésticos tem contemplado a esterilização e a posse responsável. O país dispõe da Constituição Federal, em seu artigo 225, § 1º, VII, tratando do meio ambiente; o Código Civil, em seus artigos 47 (por interpretação), 588, § 2º, 594 a 598, 1.416 a 1.423 e 1.527; a Lei 7.653, de12 de fevereiro de 1988 – Lei de Proteção à Fauna; a Lei 9.605, de 12 de fevereiro de 1998 – Lei de Crimes Ambientais, e a Lei Estadual13.193. de 30 de junho de 2009 – Controle de reprodução de cães e gatos de rua no Estado do Rio Grande do Sul.


Devemos ter em mente que ao longo de seis anos uma cadela pode, em progressão geométrica, originar quase 67 mil descendentes. Este fenômeno da procriação desordenada é conseqüência da ignorância, falta de responsabilidade da população em relação a essa questão, da omissão das autoridades e da má distribuição dos recursos públicos necessários ao tratamento específico dos animais como a educação ambiental, incentivo da guarda responsável, punição de maus-tratos contra animais e campanhas em massa de esterilização de cães e gatos. Enquanto a população não for orientada, continuará permitindo a procriação descontrolada de animais que, por sua vez, permanecerão vivendo nas rua sem alimentação, higiene e cuidados preventivos, podendo vir a ser portadores de doenças, tais como: raiva, sarna, leishmaniose e a leptospirose, transmissíveis ao humanos.


Como o bem-estar animal é baseado no princípio do cuidado e uso dos animais pelo homem, a posição do bem-estar é fundada na premissa básica que os animais podem e devem ser utilizados para o benefício humano, e a responsabilidade deste uso trás certas obrigações com os animais. Estas incluem adequado manejo, oferecimento de alimentação essencial, água e abrigo, cuidados sanitários, saúde psicológica e alívio da dor e do sofrimento.


Muitos podem pensar, porque não nos preocupamos com os moradores de rua ou com quem vive a baixo da linha da pobreza? Na realidade é justamente por nos preocuparmos que desejamos solucionar o grave problema do bem estar animal que também é de saúde pública, uma vez que, estes animais soltos nas ruas sem o tratamento adequado para evitar as doenças, acabam contaminando a população.


A responsabilidade do poder público nas questões ambientais relacionadas com os animais domésticos (cães, gatos e cavalos) é um agente multiplicador importante na forma de tratar os animais domésticos no meio urbano.


A finalidade deste projeto é sugerir ao poder público que destine local para a manutenção e exposição de animais disponibilizados para adoção, promova campanhas que conscientizem o público da necessidade de esterilização e de vacinação periódica e do aspecto criminal de maus tratos e abandono, e forneça orientação técnica aos adotantes e ao público em geral para os princípios da tutela responsável de animais. Também propõe o estabelecimento de convênios e parcerias com municípios, entidades de proteção animal, organizações não-governamentais, universidades, estabelecimentos veterinários, empresas públicas e privadas e entidades de classe.


O projeto de lei define as diretrizes a serem seguidas por programas de controle reprodutivo de cães e gatos de rua e medidas que visem à proteção desses animais, por meio de identificação, registro, esterilização, adoção e campanhas educacionais de conscientização pública.


Com base no exposto, o presente projeto vem ao encontro do Código Estadual de Proteção aos Animais, o qual, por sua vez, proíbe sacrificar animais por métodos não aceitos pela Organização Mundial de Saúde, devendo haver controle reprodutivo de cães e gatos e a promoção de medidas protetivas por meio de identificação, registro, esterilização cirúrgica, adoção de campanhas educacionais para a conscientização pública de relevância de tais atividades.


Convém lembrar que a proteção aos animais e a salubridade pública, longe se serem valores antagônicos ou inconciliáveis, são interesses que vinculam a que se voltam a um mesmo fim, já as medidas que protegem os animais são as mesmas preconizadas pela OMS, por atuarem na defesa da incolumidade pública. Dessa forma, é de natureza pública o interesse em implantar tais procedimentos.


Ante o exposto conto com a sensibilidade dos pares para aprovar esta proposição, a qual objetiva controlar a população de cães e gatos.


Santa Maria, 18 de março de 2010.



Cezar Augusto Schirmer

Prefeito Municipal

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Comissões permanentes têm nova formação


Com o licenciamento dos vereadores Cláudio Rosa (PMDB) e Sérgio Cechin (PP), que assumiram como secretários municipais, as comissões permanentes das quais os parlamentares faziam parte passam a ter nova formação.

Na Comissão de Políticas Públicas, Direitos Humanos, Cidadania e Assuntos Regionais, o vereador Admar Pozzobom (PSDB) , que já integrava a comissão, é agora o novo presidente, no lugar de Sérgio Cechin, e a vereadora Helen Cabral (PT), que também fazia parte do grupo, assume a vice-presidência, substituindo Cláudio Rosa. O vereador Jorge Trindade (PT) permanece na comissão e os vereadores Maria de Lourdes Castro (PMDB) e Isaias Romero (PMDB) são os novos integrantes.

Na Comissão de Orçamento e Finanças, o vereador Werner Rempel (independente) segue como presidente, o vereador Jorge Ricardo assume a vice-presidência, antes ocupada por Cláudio Rosa, e o vereador João Carlos Maciel é o novo integrante.


Assessoria de Imprensa
Câmara de Vereadores de Santa Maria - RS
Jornalista responsável: Renata Bianchini (MTb 11.916)
Rua Vale Machado, 1.415
(55) 3220-7252
www.camara-sm.rs.gov.br
imprensa@camara-sm.rs.gov.br

Pela manhã desta quinta-feira (20), o Vereador Admar Pozzobom participou da formação de um comitê de combate ao consumo de crack, ocasião em que estavam p
ocasião em que estavam presentes escolas, delegados de polícia e entidades interessadas.

Na noite de quarta-feira (19), o Vereador Admar Pozzobom se fez presente na inauguração do Centro Comercial Camobi, juntamente com o assessor especial da Governadora Jorge Pozzobom e demais autoridades, momento em que foram inauguradas 28 lojas.

Nota publicada no Jornal Arazão do dia 20.05.2010


quarta-feira, 19 de maio de 2010

Ex-reitor Derblay Galvão recebe Medalha Coração do Rio Grande


A Câmara realizou, na noite desta terça-feira (18), sessão solene em homenagem a Santa Maria, pela passagem dos seus 152 anos, e para a entrega da Medalha Coração do Rio Grande, neste ano outorgada ao professor e ex-reitor da Universidade Federal de Santa Maria, Derblay Galvão.

Nascido na cidade de Montenegro, o homenageado de 2010 formou-se engenheiro agrônomo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, exerceu a reitoria da UFSM no período 1977/1981 e atualmente representa a instituição em Brasília.

Ao falar em nome da Casa, saudando o homenageado, o vereador Admar Pozzobom lembrou que, se a criação da Medalha Coração do Rio Grande significou um esforço conjunto do Legislativo e do Executivo para manifestar oficialmente o reconhecimento da cidade àqueles que contribuíram para o progresso local, “hoje, com muita justiça, o parlamento santa-mariense entrega a Medalha Coração do Rio Grande ao professor Derblay Galvão”. Segundo o orador, assim como a história da UFSM se confunde com parte da história do nosso município, “é preciso dizer que Derblay Galvão é parte da história da Universidade Federal de Santa Maria e, portanto, personalidade que, efetivamente, contribuiu para o progresso da nossa Santa Maria da Boca do Monte”.

Depois de destacar as dificuldades à época, em função das restrições administrativas impostas pelo regime militar, Admar Pozzobom lembrou que Derblay lutou aguerridamente “pela obtenção de recursos para a UFSM” e a sua administração à frente da reitoria da instituição ficou caracterizada, entre outras obras, “pela conclusão do Hospital Universitário, centro de convivência do Restaurante Universitário e ampliação das moradias estudantis”.

Visivelmente emocionado, o professor Derblay disse que a homenagem a ele prestada era uma expressão da bondade enquanto “o maior atributo da essência divina que os homens, criados à semelhança de Deus, podem realizar nas suas relações com o próximo e a natureza.” E acrescentou: “Um gesto que muito me enternece e sensibiliza, pois é também a manifestação de amizade, de solidariedade humana e de fraternidade conterrânea”. Finalizou reafirmando sua emoção e declarando seus “sentimentos de gratidão, de admiração e de amizade a todos os insignes representantes do povo santa-mariense, às autoridades presentes, ao reitor (Felipe Müller), ex-reitores e velhos amigos entrelaçados por um convívio edificador e fraterno.”

Em sua saudação, o prefeito Cezar Schirmer destacou que a homenagem mais do que uma iniciativa da Câmara, secundada pelo Poder Executivo, era, sobretudo, “uma homenagem dos mais de 300 mil habitantes de Santa Maria, por tudo que o professor Derblay Galvão fez e continua fazendo por nossa cidade”.

Ao encerrar a solenidade, o presidente da Casa, vereador Paulo Airton Denardin, lembrou que a proposta do nome do professor Derblay foi aprovada pela unanimidade da Casa e que todos os vereadores se faziam presente a sessão de entrega da comenda. O presidente ainda se referiu à importância da figura do homenageado para o desenvolvimento da educação em nossa cidade, papel que continua desempenhando ainda hoje, “como representante da Universidade e do nosso município em Brasília”.


Texto: Beto São Pedro
Fotos: Gabriela Loureiro
Assessoria de Imprensa
Câmara de Vereadores de Santa Maria - RS
Jornalista responsável: Renata Bianchini (MTb 11.916)
Rua Vale Machado, 1.415
(55) 3220-7252
www.camara-sm.rs.gov.br
imprensa@camara-sm.rs.gov.br

terça-feira, 18 de maio de 2010

Sessão plenária 18.05.10


Admar Pozzobom (comunicação de liderança do PSDB) compartilhou com o pronunciamento do vereador Tubias Calil no sentido de entender que há solução para a epidemia do crack. Admar, que declarou já ter feito campanha eleitoral para Romero, desejou boas vindas ao vereador peemedebista pelo retorno ao Legislativo. Informou que solicitou à Secretaria de Mobilidade Urbana colocação de redutores de velocidade nas proximidades do residencial Novo Horizonte. Por fim, o vereador Admar Pozzobom informou que nenhuma vez foi elogiado ou fotografado no cumprimento do mandato parlamentar, mas houve o registro jornalístico por ter estacionado automóvel em local destinado a deficientes físicos. Explicou que o carro estava no local em razão de pane elétrica.


Texto: Clarissa Lovatto
Fotos: Milena Jaenisch
Assessoria de Imprensa
Câmara de Vereadores de Santa Maria - RS
Jornalista responsável: Renata Bianchini (MTb 11.916)
Rua Vale Machado, 1.415
(55) 3220-7252
www.camara-sm.rs.gov.br
imprensa@camara-sm.rs.gov.br

Na tarde desta terça-feira (18) o Vereador Admar Pozzobom esteve presente no ato de assinatura de nomeação do novo secretariado do governo Cezar Schirmer.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Sessão plenária ordinária 13.05.10


Recepção à delegação de Taquarembó

Antes de seu encerramento, a sessão plenária foi suspensa para que se realizasse a homenagem prevista à delegação da cidade uruguaia Taquarembó, que se encontra em Santa Maria para as comemorações alusivas aos 152 anos de emancipação política do município. Taquarembó, berço da internacionalmente reconhecida “Fiesta de La Patria Gaucha”, é oficialmente “Cidade Irmã de Santa Maria” há 12 anos quando, em 1998, a Câmara de Vereadores aprovou a Lei Municipal 4550/98 com esta determinação. Na delegação visitante, encontram-se o intendente municipal de Taquarembó Julio Cardozo, o presidente da junta departamental, Juan Austathion, parlamentares das três esferas de governo e ministros, além do presidente da Fiesta de La Patria Gaucha, Hugo Pereda, e autoridades executivas.

Na mesa dos trabalhos, além dos visitantes, estavam o presidente Paulo Airton Denardin, a representante do prefeito Cezar Schirmer, Magali Marques Rocha, o vice-presidente, Admar Pozzobom, e o representante do grupo Unidos Santa Maria/Taquarembó, radialista Cláudio Zappe. E foi Cláudio Zappe o encarregado de ler, em nome de Névio Cancian, um dos fundadores do grupo, o discurso em saudação aos visitantes. O relacionamento Santa Maria/Taquarembó, segundo o discurso lido na tribuna, teve início algum tempo antes da oficialização do irmanamento em 1998, por meio da participação de santa-marienses nas festividades da Fiesta Gaucha, entre eles Névio Cancian. A lei apenas formalizou esta integração, comprovando que “podemos construir se não formal ao menos espiritualmente, a tão sonhada Pátria Grande do Sul”, encerra o discurso.

Os uruguaios foram saudados pelo vereador Sérgio Cechin, que tendo estado em mais de uma oportunidade participando das festividades na cidade irmã, pode testemunhar e destacar “a hospitalidade de seu povo”. Em seu discurso ele destacou também a importância do intercâmbio nas áreas educacional e cultural entre as duas regiões.

Depois da trocas de presentes e o encerramento do ato e da cessão, visitantes e anfitriões participaram de outra cerimônia na Praça Saldanha Marinho, onde foram colocadas flores no busto do herói uruguaio José Artigas, e apresentou-se a Orquestra Sinfônica de Taquarembó.


Texto: Clarissa Lovatto e Beto São Pedro
Assessoria de Imprensa
Câmara de Vereadores de Santa Maria - RS
Jornalista responsável: Renata Bianchini (MTb 11.916)
Rua Vale Machado, 1.415
(55) 3220-7252
www.camara-sm.rs.gov.br
imprensa@camara-sm.rs.gov.br

O Vereador Admar Pozzobom se reuniu com os moradores da Vila São José para ouvir as reinvidicações da comunidade e solicitar providências junto a Prefeitura Municipal.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Câmara tem Comissão Especial de Combate ao Consumo de Crack




Por iniciativa do vereador Tubias Calil, foi aprovado na sessão plenária desta terça-feira (11) requerimento para a criação de “Comissão Especial de Combate ao Consumo de Crack”.

Devido ao aumento do consumo da droga e suas devastadoras consequências, a iniciativa prevê debater e levar informação nos diferentes bairros de nossa cidade. A proposição foi aprovada pela unanimidade dos parlamentares.

Os membros da Comissão são os vereadores Tubias Calil (presidente), Helen Cabral (vice-presidente) e Admar Pozzobom (relator).


Foto: Pedro Henrique Pavan
Assessoria de Imprensa
Câmara de Vereadores de Santa Maria - RS
Jornalista responsável: Renata Bianchini (MTb 11.916)
Rua Vale Machado, 1.415
(55) 3220-7252
www.camara-sm.rs.gov.br
imprensa@camara-sm.rs.gov.br

terça-feira, 11 de maio de 2010

Reunião com Secretário de Controle e Mobilidade Urbana


O Vereador Admar Pozzobom iniciou a semana pleiteando reinvidicações da comunidade junto à secretaria de Controle e Mobilidade Urbana. O tucano entregou uma série de requerimentos já feitos pelo gabinete parlamentar que ainda não foram providenciados pelo Poder Executivo.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Descerramento de placas com nomes de ruas encerra semana da câmara


O descerramento das placas que denominam 18 ruas da Vila São Serafim, no Bairro Parque Pinheiro Machado, marcou o encerramento da Semana da Câmara de Vereadores 2010, no final da tarde da sexta-feira (07). O ato foi presidido pelo vereador Paulo Airton Denardin, autor das leis que dão os nomes de ex-vereadores às ruas daquele loteamento, juntamente com os demais vereadores da Casa e moradores do local.

Até então, as ruas da vila São Serafim eram identificadas por números. A partir de agora, passam a ser conhecidas pelos nomes de 18 vereadores, escolhidos por sua grande contribuição e dedicação a Santa Maria.

Após a cerimônia, o presidente fez um rápido balanço das atividades da Semana da Câmara 2010, considerando-a positiva. Segundo ele, “ao colocarmos a transparência na administração pública como tema central da Semana, o legislativo contribuiu para a amplificação das discussões em torno do tema”. O presidente ainda salientou a participação dos palestrantes Marcos Rolim e Ana Amélia Lemos e o lançamento do novo site da Casa, com o Portal da Transparência.

Denominações:


Rua nº 01: Vereador Abílio Dalla Corte

Rua nº 02: Vereador Adair Maciel

Rua nº 03: Vereador Alexandre Cruz

Rua nº 04: Vereador Antenor Pereira da Rosa

Rua nº 05: Vereador Antoninho Costa

Rua nº 06: Vereador Gilson de Souza

Rua nº 08, Vereador Gregório Coelho

Rua nº 10, Vereador Eloy Ricaldi

Rua nº 11, Vereador Homero Behr Braga

Rua nº 12, Vereador José Manoel da Silveira

Rua nº12, Vereador Soel Maciel de Oliveira

Rua nº 13, Vereador Radialista Cerejinha

Rua nº 13, Vereador Binício da Silveira

Rua nº 14, Vereadora Helena Ferrari

Rua nº 14, Vereadora Maria Eloah Pavani

Rua nº 15, Vereador Newton Guerino

Rua nº 16, Vereador Joaquin Sangói.

Rua nº 19, Vereador Engenheiro Adi Forgiarini


Texto: Beto São Pedro
Assessoria de Imprensa
Câmara de Vereadores de Santa Maria - RS
Jornalista responsável: Renata Bianchini (MTb 11.916)
Rua Vale Machado, 1.415
(55) 3220-7252
www.camara-sm.rs.gov.br
imprensa@camara-sm.rs.gov.br
Na noite de terça-feira (04), o Vereador Admar Pozzobom participou do coquetel de lançamento da 2ª Trilha Cidade de Santa Maria, que ocorrerá no dia 16/05/2010, tendo a sua largada às 9h da manhã, em frente ao bar Moto Garage, Floriano Peixoto 2010.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Palestra de Ana Amélia Lemos na Semana da Câmara


O Tucano líder da bancada do PSDB, em Santa Maria, Vereador Admar Pozzobom, juntamente com seu irmão Jorge Pozzobom, marcou presença na palestra proferida por Ana Amélia Lemos, na tarde desta quinta-feira (06), cujo tema fora a transparência das Contas Públicas.

Troca de Comando do Colégio Tiradentes



























Representando o Poder Legislativo, o Vice-presidente da Câmara de Vereadores de Santa Maria, Vereador Admar Pozzobom, esteve presente da troca de comando do Colégio da Brigada Militar de Santa Maria, Colégio Tirandentes.

O Tenente Coronel Alfredo Vila Nova passou o cargo ao Major José Vilmar Robaina da Jornada, na tarde desta quinta-feira (06), em cerimônia solene.









Em cumprimento ao que estabelece a lei municipal 1250/66, a Câmara de Vereadores fez a entrega, em sessão solene, na noite desta terça-feira (04), dos Títulos de Benemerência concedidos anualmente pelo legislativo santa-mariense a pessoas que se destacam em suas atividades contribuindo com o desenvolvimento do município. Dirigida pelo presidente Paulo Airton Denardin (PP) juntamente com seu vice-presidente Admar Pozzobom (PSDB) , a sessão durou pouco menos de duas horas, diante de um plenário lotado de familiares, amigos e admiradores dos homenageados.

Serra em Santa Maria


O Vereador Admar Pozzobom, líder da bancada do PSDB na Câmara de Santa Maria, recepcionou, nesta terça-feira (4), o pré-candidato a Presidência José Serra, juntamente com o pré-candidato à Assembléia Legislativa do Estado, Jorge Pozzobom.

terça-feira, 4 de maio de 2010


Ainda no domingo, o Vereador Admar Pozzobom esteve em almoço com Janú e músicos convidados, no qual recebeu convite para participar do show beneficente que estes irião realizar no Teatro Treze de Maio.

O tucano Admar Pozzobom participou de missa criola no Distrito de Santo Antão, no último sábado (01), em homenagem ao dia do trabalhador.

segunda-feira, 3 de maio de 2010



Na mesma noite, o Vereador Admar Pozzobom participou de um jantar em homenagem aos 30 anos de fundação da Associação Atlética Noal/Fighera.

Na noite de sexta-feira (30), o Vereador Admar Pozzobom participou da coletiva de imprensa em que seu irmão Jorge Pozzobom lançou, oficialmente, sua Pré-candidatura para a Assembléia Legislativa do RS.